Meu Herói Veste Terno: Adoção!




O mês  de maio chegou  e com  ele vem o dia em que muitas mulheres gostariam de celebrar como protagonistas: o Dia das Mães.  Diferente  do ano passado (que eu estava gravidinha), este ano celebrarei meu 1° Dia das Mães  com a minha bebê  nos braços.  Mas exclusivamente hoje eu preciso compartilhar com vocês  um gesto  de gratidão  pela ótica  de uma criança de 10 anos que foi adotada. Para quem  não  sabe dia 25 de maio é considerado  o Dia Nacional  Da Adoção.   E eu quero mostrar pra vocês o que sente uma criança que recebe a oportunidade de viver em família.  Lembrando que estou falando de um fato real e que aconteceu em Betim.
Arquivo da família
A estudante Sofia S. P. foi convidada por sua professora de produção de texto (Instituto Eros Gustavo), a participar do Concurso Mundial De Cartas, organizado pelos correios. O tema desta vez foi “Meu Herói”. E em um mundo onde a maioria das crianças enxergam nos pais ou nos desenhos infantis seus heróis, a estudante espontaneamente decidiu seguir na contramão e homenageou àquele que foi, a seu ver, o protagonista da sua adoção: o advogado da família, Dr. Chaquibe Hassan Souki Hunior.
O que pretendo neste texto é que vocês entendam que adoção vai muito além de ir a um orfanato e buscar uma criança.  É preciso que este amor seja gerado primeiro no coração.  Abaixo a cartinha da Sofia (sem edição). Duvido vocês não se emocionarem com tamanha gratidão.

“Melhor Lugar do Mundo, 23 de Fevereiro de 2019.

Caro leitor,

Já vi heróis que usam capas. E também já vi heróis usando jalecos, pincéis, microfones, cuidando dos filhos e até dirigindo. Mas o grande herói que conheci na vida, usa terno gravata e carrega muitos livros. O nome dele é Chaquibe Hassan Souki Hunior, tem 52 anos, 3 filhos e há 28 anos se formou em Direito em uma conceituada Universidade. Ele sorri muito e chora fácil.

Quando fui adotada por minha Família, foi um processo demorado, difícil e muito doloroso. É incrível que tenha sido assim, mas foi. E o meu herói aceitou se aventurar comigo e minha família na difícil jornada da adoção. Viajou conosco algumas vezes até minha cidade natal, que é bem longe, em busca da minha felicidade. Sempre forte e positivo.

A adoção é um processo muito complicado. A antiga família precisa dizer para o juiz que concorda com a adoção. Mas, ás vezes, eles dizem que não concordam e pedem outra chance para ficar com a gente. E na maioria das vezes, já estamos com nossa família nova, felizes e tão amados que tememos ter este sonho destruído.

O meu processo durou 2 longos anos e meu herói sonhou comigo e minha família com o grande dia. E o grande dia chegou. As coisas boas sempre nos encontram. Então, minha família decidiu vender nosso carro e pagar a ele o valor devido por todo o serviço. Mas ele não quis receber. Deu-me um abraço demorado e disse que o pagamento que ele queria, era ter sempre boas notícias a meu respeito.

O meu herói continua saindo de casa todos os dias destemido e em busca da felicidade de outras famílias. Pode ser visto, com facilidade, pelos corredores da justiça da minha cidade.

Sempre levo no coração, gratidão por tê-lo conhecido e ter aprendido a defender o que acredito. Desejo que todas as famílias que o encontre, também tenham final feliz.

Com amor e gratidão,
A menina que ama sua família, Sofia S. P (10 anos).

DIA NACIONAL DA ADOÇÃO

No dia 25 de maio, no Brasil é comemorado o Dia Nacional Da Adoção. A data tem por objetivo promover debates sobre um dos princípios mais importantes do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): o direito da convivência familiar e comunitária com dignidade.  E quando as crianças são abandonadas ou negligenciadas por seus pais biológicos a adoção é uma forma de oportunizar a criança/adolescente o direito de viver em família, de forma harmoniosa e saudável dentro de um contexto familiar e social

O Que é Preciso Para Adotar Uma Criança?

Como eu disse, muito mais que querer adotar, é preciso que o amor seja gerado no seu coração. Mas também é preciso seguir alguns pré-requisitos:

1º - Tomar esta decisão em família;
  - Ser maior de 18 anos independente do estado civil; exista uma diferença mínima de 16 anos entre o adotante e o adotado; Cônjuge poderá adotar o filho do companheiro; A justiça não coloca obstáculos na adoção por homo afetivos; a autorização fica a cargo do juiz responsável. No entanto, desde o reconhecimento do casamento civil entre casais do mesmo sexo, em 2013, o processo tem se tornado cada vez mais simples.

Quem não pode adotar: Avós não podem adotar netos; irmãos não podem adotar irmão; tutores não podem adotar tutores; pessoas que não gozam plenamente de suas faculdades mentais.

Para mais informações, dirija-se à Vara da Infância e da Juventude ou ao Fórum do seu município.

Assim como acontece com muitas famílias, os pais de Sofia, Andrêsa Silveira e Fábio Prates, também passaram pela dor da infertilidade.  Após Andrêsa perder dois bebês, por inúmeras vezes optar por tratamentos e perder suas trompas, o casal decidiu pela adoção. Sofia chegou à família com apenas sete dias de vida.  Há três anos o casal resolveu aumentar a família e após fertilização in vitro, nasceu Maria. “Sofia não nasceu de mim, mas nasceu para mim”, conclui Andrêsa.

 

3 comentários:

  1. ImpossiveI não se emocionar. Que tenham muitos e muitos anos juntos e felizes. Que Deus abençoe este "heroi de terno"

    ResponderExcluir
  2. Sou privilegiada por poder fazer parte desse processo e da dor dessa família. Mas com a ajuda deste herói de terno foi possível um final feliz. Eu junto com Sofia compartilho desse sentimento de gratidão por você grande " herói de terno"

    ResponderExcluir