Acredite! O filho é apenas da mãe...

- E se sua filha precisar ir ao médico? Como você vai fazer?

- Bom, minha filha estuda em período integral e meu esposo trabalha a noite. Logo, durante o dia ele ficará a disposição dela. E quando eu chegar do trabalho será a vez dele sair para trabalhar e assim vamos criando a nossa filha de quatro anos.

- Olha, infelizmente não poderemos ficar com você! Se sua filha precisar ir ao médico, você terá de sair do trabalho mais cedo e isso não será bom para a empresa.  Em uma próxima oportunidade te chamamos.
Esse foi o retorno que uma amiga muito querida teve de uma rede de farmácias quando estava à procura de um emprego de balconista. Ela que é formada em RH, além de ter que se submeter a procurar por uma vaga fora da sua formação, foi obrigada a escutar este tipo de retorno da empresa.

Arquivo pessoal
Não se trata de competência, mas sim de uma sentença que nós mulheres sofremos assim que anunciamos que estamos à espera de um bebê.  Entendem agora por que algumas mulheres optam por não ter filhos? Há casos e casos, obviamente, mas esse é sim um dos motivos pelos quais fazem algumas mulheres pensarem duas vezes se vale a pena ou não realizar o sonho da maternidade.

O FILHO É DA MÃE!  E não sou eu quem está falando! É o mundo corporativo que insiste enfiar goela abaixo que nós mulheres não temos condições de administrar a carreira, maternidade e o lar. É foda! Mas é assim que acontece!

www.petitpapillon.com.br
Outra amiga, bancária, sonhou a vida inteira em ter um filho (hoje ela tem um casal). Mas quando ela engravidou do mais velho, ficou o período de licença maternidade seguido de um mês de férias – que é direito dela – ao fim do período foi demitida assim que retornou ao trabalho. Isso após mais de cinco anos servindo a empresa. Qual a desculpa? MATERNIDADE!  Hoje além de ter mais um filho, está em outra empresa e consegue administrar casa, maternidade e carreira tranquilamente.

Falta muita empatia por parte das empresas . Se é que essa é a palavra correta. Por trás de uma criança, geralmente há um casal (o que não é regra, eu sei), que são responsáveis por ela. E mesmo que não haja os dois, o fato de a mãe querer trabalhar é por que ela quer oferecer um futuro digno para sua criança.


Tão óbvio né? Explica para eles (empresa)! Quem sabe dá certo!

4 comentários:

  1. Realmente ainda existe empresas com essa mentalidade infelizmente.

    ResponderExcluir
  2. infelizmente existe uma falta de sensibilidade muito grande por parte dos empregadores que veem na maternidade um impulso negativo no rendimento do funcionário! Discordo dessa teoria porque ao nos tornarmos mães o nosso nível de responsabilidade redobra e se antes nos preocupavamos em ficarmos firmes no trabalho, agora nos preocupamos ainda mais. Até mesmo para garantirmos um futuro melhor à nossa prole!

    ResponderExcluir
  3. Talvez ficar fora do mercado de trabalho um tempo pra cuidar dos filhos seja um dos motivos que favoreça a mulher em 9,5 anos de expectativa de vida a mais do que o homem no Brasil. De fato mesmo são os 5 anos a menos que a mulher precisa contribuir para aposentar. A mim parece que esta situação já se encontra equalizada.

    ResponderExcluir
  4. Existe uma falta de empatia não só por parte da empresa, mas acredito que de modo geral. A sociedade coloca a mãe num papel que não é só dela. E a gente acaba se moldando a isso. A gente se anula, a gente se culpa quase em tempo integral. Mães, não façam isso com vocês mesmas. Não somos heroínas, somos mulheres, seres humanos com vontades e sonhos, defeitos e qualidades.

    ResponderExcluir