Amanhã, a partir das 01h24 (sem horário de verão), é declarada oficialmente a chegada do inverno. E eu como tive uma infância rodeada de primos na casa da minha avó, carinhosamente chamada de dindinha, por muitas vezes, no frio, nos alimentávamos com: canjica, sopa, caldos, chocolate quente, mingau... Hummm... Ô época boa!

E por falar em mingau, eu aprendi uma receita muito simples, e confesso que quando vi os ingredientes eu me assustei, mas o resultado pode ter certeza... Maravilhoso! Vai por mim. Estou falando do Mingau de Aveia Proteico

Imagem da internet
Esse prato tem dois diferenciais:

1º: NÃO LEVA LEITE;

2º: LEVA UMA CLARA .

Isso mesmo! Você não leu errado. Eu fiquei pensado em como que ele iria dar liga sem o leite, e se seria possível fica gostoso um mingau com clara de ovo. Pois bem, tudo deu certo e vou explicar o porquê destes dois diferenciais.

Então, vamos à receita e modo de preparo? Anotem aí:

INGREDIENTES
- 1 copo de água;
- 2 colheres de sopa de aveia em flocos (quem quiser testar a outra aveia também pode, mas não sei se dá certo);
- 1 clara de ovo;
- 1 pitada de sal;
- 1 colher de chá de adoçante em pó (usei o Tal & Qual, mas se preferirem pode usar adoçante líquido de sua preferência);
- Canela em pó.
MODO DE PREPARO

Junte todos os ingredientes (exceto a clara de ovo), e misture até levantar fervura. Quando o mingau começar a engrossar, acrescente a clara de ovo. Misture bastante até você perceber que a clara condensou por completo na receita. Em seguida, desligue o fogo, sirva e acrescente a canela em pó.

 Rende: 1 porção. Tempo de preparo: 7 minutos aproximadamente.

Quer assistir o modo de preparo em menos de 2 minutinhos? Clique aqui 


Mas... Esse Mingau Emagrece Mesmo?

 De acordo com a nutricionista e especialista em nutrição esportiva funcional, Amanda Brito, “não se deve associar alimento a poder de emagrecimento, pois nenhum deles tem esse poder. A reeducação alimentar começa do indivíduo, e não dos alimentos”, afirma.

Analisando os ingredientes desta receita, a especialista explica que este o mingau é rico em fibras e proteínas de boa qualidade.  A aveia além de ser um carboidrato do bem, dá saciedade pelas fibras, o ovo é rico em proteínas, a canela é termogênica, ou seja, ajuda a acelerar o metabolismo e o processo de emagrecimento, e a pasta de amendoim é uma gordura do bem. 

Já sobre a falta do leite na receita, a especialista explica que “ele possui lactose e caseína que são componentes inflamatórios para nosso organismo”. Sem contar que o leite de hoje é muito diferente do de antigamente, pois as vacas fazem terapia hormonal para aumentar a produção. 

Daí, são adicionados aditivos químicos para estabilizar o leite e é feito o processo de pasteurização que o faz perder bactérias do bem para nossa microbiota intestinal. Ou seja, hormônios e compostos químicos que alteram nosso metabolismo.

Essa e ouras receitas práticas e com baixo custo você encontra no Canal EuExPlusSize, no Youtube.

Gostou da dica? Acompanhe não apenas o meu processo de emagrecimento, como também as dicas e receitas para quem quer ter uma alimentação completamente saudável.


E você? Quer fazer parte do Projeto EuExPlusSize, gratuitamente? Envie um e-mail para euexplussize@gmail.com . Será um prazer ter você comigo nessa jornada.


Você é convidado para uma festa e logo se anima. Descobre que pode levar um acompanhante e que o evento é durante a semana. No final do convite, uma informação importante: Traje: Passeio completo.  Após a leitura do convite uma pergunta que não quer calar: “Com que roupa eu vou?”. Se você está acima do peso e já se deparou com esta situação, este post é para você.

Infelizmente a dúvida sobre a roupa certa a se usar durante um evento é uma constante na vida de algumas pessoas que não entendem nada sobre moda.  E não estou falando sobre ser expert no assunto. Não mesmo!
Quando estamos acima do peso, alguns trajes são tão comuns em nossos guarda roupas que qualquer coisa que foge do que temos é novidade. Não deveria ser, mas é. 

Mesmo porque até pouco tempo atrás, se uma gordinha fosse convidada para uma festa que exigisse algum traje como vestido, por exemplo, o mais perto que ela chegaria da elegância seria aqueles famosos “lençóis” com uma echarpe (aquele famoso tecido largo que se usa ao redor do pescoço).

Foto - Leonardo Pelluci
Pois bem, há um tempo isso tem deixado de ser um problema para nós. Infelizmente não são todas as lojas que trabalham com moda plus size, mas para a nossa alegria, eu encontrei uma grife que trabalha  com numeração que vai do 38 ao 56, a DillesPrime.

VOCÊ SABE O COMO É O TRAJE PASSEIO COMPLETO?

Confesso que a duvida pairou bonito quando li sobre o traje, Mas nada melhor que a curiosidade para pesquisar e amigos que entendem muito bem do assunto.

Em termos de sofisticação, o traje passeio completo é quase um traje de gala. Nele, você mulher, pode investir no brilho, bordados, sedas, uma joia ou biju, que valorize o look, um salto, e se puder, é claro, uma bela clutch  ( a famosa carteira de mão), mas uma bolsa tira colo também cai bem.

Arquivo Pessoal
Para esta festa eu fiz questão de escolher um vestido que me trouxesse acima de tudo, conforto e elegância. E vestido com esses predicados eu encontrei na Dilles Prime.

A verdade é que a Dilles Prime, possui um compromisso leal para com seus clientes, por isso tem como objetivo satisfazê-los da melhor maneira possível. As criações são marcadas pelos maravilhosos bordados manuais e aplicações em renda ou materiais diversificados e pela excelente qualidade e acabamentos, que irradiam e valorizam a beleza peculiar da mulher brasileira.

Resumindo, não tinha como errar, não é mesmo?

Então fica a dica, mulherada... Na dúvida do look, pesquise. E lembre-se: elegância e conforto são primordiais na escolha do look perfeito.


Eu & Mylena Jardim FotoLeonardo Pelluci

Eu & as blogueiras  @Falagreyce , @Negrasdobrasil & @blackacheadas FotoLeonardo Pelluci

Eu &  a anfitriã  e blogueira Pandora Foto Leonardo Pelluci
Grande Beijo!!!

Dilles Prime: Rua Atenas, 125, Prado – Belo Horizonte – MG.
Contato: (31) (31) 3312-4233 | (31) 3347-4233 | (31)98408-0068 e (31) 98451-3029
Instagram: @dillesprime


Oi pessoas, tudo bem?

Aqui estou eu mais uma vez para compartilhar minha saga no combate à obesidade. E o vilão da vez será o açúcar. 

Já falei aqui algumas vezes que este tem sido um dos meus maiores oponentes, se não for o maior. 

Segundo a nutricionista e especialista em nutrição esportiva funcional, Amanda Brito, o açúcar tem efeito mais potencializados que a própria cocaína: “Quando ingerimos açúcar em maior quantidade (alimentação da maioria dos brasileiros), acontecem algumas reações bioquímicas no cérebro, uma delas é a liberação de dopamina que promove a sensação de prazer”. 

                  
Imagem da internet 


A especialista explica que “com a repetição desse estímulo, os receptores de dopamina começam a ficar desregulados e o indivíduo  não sente tanto prazer com a mesma quantidade de açúcar. Então se faz necessário cada vez  maiores quantidades de açúcar para ter a sensação de prazer. O mesmo mecanismo das drogas, porém, bem mais intenso”.


Imagem da internet 

 Não é novidade para ninguém que se cortarmos o consumo do  açúcar, (principalmente  o processado),de vez,  da vida, já eliminamos grande parte dos problemas nesta batalha. 


Porém a questão é: qual o método ideal para tal façanha? Analisando diversas técnicas percebi que a mais ideal  (para mim), é criar um hábito por “APENAS” 21 dias consecutivos para que o cérebro entenda que a partir do 22° dia, esses hábitos já fazem parte da sua vida, e  não cobre isso de você em forma de crises de abstinência.

Só que escrevendo e falando é muito lindo e perfeito. O difícil é  a prática... e como é!

Mas já que tinha que ser, comecei a batalha dos 21 dias. Sim, digo batalha porque conflitar com algo que  você, por conta própria precisa, mas não quer banir da sua vida e este algo te traz prazer momentâneo e depois te manda para a fossa, é  foda.

O ciclo do açúcar no nosso organismo


Imagem da internet

Para que você consiga analisar melhor, entenda como o ciclo do açúcar funciona no nosso organismo: 

1° : Você ingere o açúcar (tanto na forma de açúcar mesmo quanto na forma de farinhas brancas, refinadas, frutas;

2°: Rapidamente após a absorção acontece um pico de glicose na corrente sanguínea (aumento do açúcar no sangue);

3°: Para esse açúcar entrar na célula o corpo libera a insulina que transporta a glicose para dentro da célul;

4°: Depois desse pico de insulina a glicose cai na corrente sanguínea e o corpo envia para o cérebro sinais de fome para enviar mais glicose e repetir o ciclo.

Essa glicose dentro da célula, quando não é utilizada será armazenada na forma de gordura.

Após esta explicação da minha nutri,   criei uma estratégia para tentar (mais uma vez), me livrar deste vício: 

Primeiro: adotei um novo linguajar: troquei o verbo SER pelo verbo ESTAR. Logo: “eu Sou viciada em açúcar”, passou a ser: “eu Estou viciada em açúcar”.

Isso porque eu entendo que se eu não nasci assim, logo não sou. Concordam?

Segundo: comecei a mudança pelo café da manhã. Sabe aquele pão doce com creme (maravilhoso por sinal)? Não faz mais parte da minha vida. E aceitar que se é para ter  o pão, ele tem que ser 100% integral e livre de açúcares.

Terceiro: Eliminar qualquer doce que esteja na sua geladeira. Obs.: recebi visita ontem e servi  uma cocada de colher que fiz para a visita que também  recebi no último domingo. Confesso que comi também... me sabotei  alegando que o objetivo era eliminar de vez o doce da minha casa. E graças a Deus acabou. 

A tarde passou e a noite chegou. Até aí, alimentação linda. Após o treino comi ovos com iogurte. Em seguida cochilei...
Acordei próximo das 00h... de repetente... abstinência ... fissura  para comer algo. Não importava o que  fosse. Mas não era hora de comer.

Terrível! Muito ruim mesmo você querer comer qualquer coisa só para não perder o hábito de mastigar...
Encontrei o resto de biscoito levíssimo de maisena. Comi e tomei um suco. Escovei os dentes e fui dormir.

Antes disso fiz minha  oração e aproveitei para pedir a Deus que me ajudasse nesta milésima tentativa de voltar a ser saudável. E eu sei que Ele vai me ajudar, afinal, estou fazendo a minha parte, né?

Amanhã, será outro dia. Não me culpo por ter falhado (mesmo que pouco), no 1° dia. Não mesmo! Por que mudança requer disciplina. E disciplina se constrói diariamente. 

Não é mais novidade para ninguém que no Brasil, existem milhões de animais que vivem em situações de abandono. Basta sairmos de casa para comprovarmos isso. E as desculpas são as mais adversas: Esse cachorro late demais; é muito bagunceiro; não faz xixi no local certo; vou mudar de residência; meus filhos têm alergia a pelos, não tenho mais tempo, esse gato sobe até na minha mesa...


Arquivo pessoal
O post de hoje é para estimular você que gosta de cães e gatos, a se dar uma oportunidade de vivenciar a experiência da adoção e, também, permitir que os pets que vivem em abrigos, ou até mesmo nas ruas, ofereçam o que tem de melhor: amor, gratidão e lealdade.

É importante que as pessoas entendam que os animais crescem, passam pela fase da infância, se tornam um membro da família e, algumas vezes vão precisar de tratamento médico e, principalmente envelhecem. Mas ao contrário de muitos humanos, jamais nos abandonam. 

Tutora de 22 animais para adoção e há mais de 11 anos lutando pelo direito dos animais, Val Consolação (como é conhecida por ONG’s e adotantes de pets), atua na luta por políticas públicas em defesa dos animais, e tem participado de diversas audiências na Câmara Municipal e na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Voluntária da Associação Cão Viver e Presidente da APAC/MG - Associação Protetora dos Animais em Minas Gerais, Val ficou conhecida na capital mineira pelos diversos resgates de animais abandonados e apoio de outros protetores. 


Foto Elisa Barros
Em entrevista ao Blog EuExPlusSize, a protetora e também bacharel em direito que participou das duas últimas edições do Fórum Nacional de Defesa Animal e também faz parte da Comissão de Ética do Uso de Animais em Pesquisa (CEUA) da Fundação Ezequiel Dias, esclarece algumas dúvidas de quem tem interesse em adotar.

EuExPlusSize: Atualmente qual é a estimativa de pets abandonados no Brasil e/ou em Minas Gerais? 
Val Consolação: Aproximadamente 50 mil só em Minas Gerais.
EuExPlusSize: Podemos dizer que os números de adoção melhoraram nos últimos anos?
Val Consolação: Tenho visto uma melhora na questão da adoção de animais de rua e de abrigos, mas ainda temos uma árdua batalha para conscientizar as pessoas que a adoção é a forma mais ética de se adquirir um animal.
EEPS: Quais fatores devem ser levados em consideração na hora decisão de ter um pet em casa? 
VC: É importante lembrar que a adoção é um ato não só de amor, mas também de muita responsabilidade. Um pet é uma vida e não um brinquedo que pode ser descartado quando não mais o desejamos.  Considero que é impossível ser feliz sem animais em casa.
EEPS: Qual o seu ponto de vista a respeito da castração?
VC: Travo uma grande batalha pela castração, pois somente com ela em massa teremos um controle ético populacional de animais de rua e semi domiciliados.  E é fato que temos que dar acesso a castração para a população carente.
EEPS: O que falta ser feito para que as pessoas se conscientizem da importância do não abandono e da adoção Pet?
VC: Precisamos focar na educação. Hoje eu faço palestras em escolas para conscientizar as pessoas sobre a importância da castração e adoção, com foco no bem-estar animal e meio ambiente. Lutamos uma luta linda e digna, espero que um dia eu possa olhar para trás e ver que tudo isso valeu a pena.  

ADOTAR É TUDO DE BOM!

Hoje eu e meu esposo somos tutores de sete cães. Sim eu disse sete! Sendo três deles regate: Tereza (vira-lata), Rafinha (vira-lata), e a Mel (Poodle). Cada um deles carregam uma história de dor e sofrimento.  A Mel foi abandonada no bairro Jardim Laguna, em uma situação de calamidade, Tereza foi atropelada por um caminhão e o Rafinha foi espancado a pauladas próximo ao trabalho de meu esposo. Os demais foram ganhados e também gerados pela mel.
Tereza - arquivo pessoal

Rafinha - arquivo pessoal

Mel - arquivo pessoal

E uma coisa eu falo com propriedade: pets adotados têm algo muito em comum: são eternamente amorosos e gratos aos seus tutores.

EXEMPLOS DE ADOÇÃO
Quando eles nos escolhem...

“Cresci com cães ao meu redor, meu pai e minha mãe sempre foram verdadeiros adoradores de animais. Minha casa sempre foi cheia deles, em sua grande maioria vira latas. Hoje tenho 4 cães adotados, que ficam na casa da minha mãe, alguns que chegaram até mim em estado deplorável, fora os resgatados e encaminhados para novas famílias. No meu apê, por exemplo, até a semana passada dividíamos o espaço apenas com a Malu, mas tudo mudou durante nossa última viagem de férias.

 Fomos passar uns dias em um sítio e fomos literalmente adotados por um pequeno que apareceu por lá. Era o Felipe. Claro nos apaixonamos e agora ele também faz parte da nossa família. Tenho sorte de ter um marido que compartilha desse amor pelos animais e aguenta minhas loucuras. ”

(Izabella Ruchido – jornalista e protetora)

Arquivo pessoal

Quando os escolhemos e somos escolhidos...

A nossa história com nossos bebês peludos começou com a perda da minha Lua, uma cadela sem raça definida, mestiça de Cocker com Poodle, que viveu 12 anos ao meu lado e morreu 20 dias após meu casamento. Sem ela, eu e meu marido, Leandro, decidimos que iriamos adotar outro cão. A adoção sempre foi nossa primeira opção, nem pensamos em comprar.
Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal
Quando decidimos adotar, fui escolhida pelo Elvis. Já o Raul, seu irmão, foi escolhido por meu esposo. E em seguida veio a Nazaré, escolhida pela minha mãe. Mesmo morando em um apartamento de dois quartos, topei o desafio. Hoje, tenho uma filha de 2 anos e meio, a Lola, e ela convive desde que chegou da maternidade com os três. Eles se amam e é lindo ver isso. Estudos, muitos deles, comprovam os benefícios que um cão traz a uma criança. Esses vão desde o fortalecimento da imunidade até à colaboração no desenvolvimento sentimental e cognitivo dos pequenos.

As pessoas precisam entender que um cachorro vive em média 12 anos. Chega filhote (na maioria das vezes) e mesmo tão fofinho, destrói metade dos móveis, suja a casa e chora de solidão. Depois ele cresce e alguns ficam mais preguiçosos e não querem tantas brincadeiras. Eles então envelhecem e precisam de cuidado redobrado. Podem ficar cegos, surdos, com problemas de locomoção. Os gastos com veterinário são altos. Alimentação e controle de pulgas e carrapatos também são caros. Para viajar, tem que planejar onde irão ficar. Eles precisam de atenção diária, passeios, brincadeiras, carinho e conforto.

(Letícia Murta – Jornalista e blogueira @leticia_eucurtosermae)


Quando a adoção vem junto de boas lembranças e gratidão

Conheci a Mel e sua história em janeiro de 2015. Me foi proposto a adoção, devido a perda da minha Dara, uma poodle que tive e viveu por 17 anos. Pensei que seria difícil por morar sozinha porque ela precisava de cuidados. Aceitei adotar! Quando nos olhamos pela primeira vez, meus olhos encheram de lágrimas. Pensei na Dara.
Recebi apoio de todos, exceto do meu pai. Com medo de sofrer de novo ele se recusava a olhar para Mel e até conversar comigo por um tempo.  Mas o dia que ele viu a Mel, foi paixão a primeira vista. Viajamos e passeamos muito. Hoje estamos morando na França! Devido as informações a respeito das burocracias da mudança de país com meu pet não serem suficientes, fiz tudo sozinha. Corri atrás de todas as informações e cá estamos, lindas, com saúde e felizes.

(Bárbara Lara – bióloga)

Arquivo pessoal
Quando a adoção vem com as garras do amor


O amor por gatos me acompanha desde a infância. Depois que eu casei, resgatei um gatinho que estava todo queimado. O Zé Bel. Na época morava de aluguel. Assim que fui para minha casa própria, senti a necessidade de arranjar uma companhia para ele, pois eu saia para trabalhar e percebia que ele ficava muito triste. Foi aí que veio a Tchutchu.  Infelizmente com o tempo ela sumiu. Acredito que um antigo vizinho sumiu com ela, pois não gostava de felinos.
Arquivo Pessoal
Depois deste episódio, um amigo me pediu para eu resgatar uma gatinha que sofria maus tratos. E como eu estava chateada pelo sumiço da Tchuchu, eu e meu esposo decidimos adotar. Já havíamos programado a castração dela, mas foi tarde demais, Lucy, como a chamávamos, ficou prenha e nos presenteou com cinco filhotes: Zé Milho, Zé Binho, Lindinha, Surah e Apolo (que foi adotado por um amigo). 

Hoje, Lucy não está mais conosco, somos seis, porque chegou o Zulu, um gato lindo que minha vizinha adotou, mas que não sai da minha casa.  Ter gato é maravilhoso. Eu posso estar muito chateada, mas quando encontro com eles, minha alegria retorna.

(Walquíria Justino – Tosadora)

Deseja Adotar um  pet?

Se após a leitura deste post você decidiu que é o momento de adotar, entre em contato com as ONG’s abaixo e saiba quais são os procedimentos que devem ser tomados para adoção. São as seguintes:

*** Associação Cão Viver (Contagem)http://www.caoviver.com.br/  (31) 3397-8560 | FEIRA DE ADOÇÃO PERMANENTE: 3ª, 5ª e 6ª, das 14h às 16h • Aos sábados, das 13h às 16h;

*** Rockbicho.org Associação de Proteção Animal (ex-SOS Bichos): http://rockbicho.org/;

  *** Associação Bichos Gerais (ABG) : https://www.bichosgerais.org : Organização Não Governamental fundada em 28 de março de 2001.WhatsApp 989795784. Unidade Pitangui, 3556, Horto 30862415. Patriarca, 867. Ipiranga 34811968.


Grande beijo!
Define-se ansiedade como: mal-estar físico, psíquico, aflição, agonia, desejo veemente impaciente... quem é que não se identifica com pelo menos uma dessas características?

Posso dizer que se colocar tudo em uma sacola eu levo para casa. Sim, sou uma pessoa ansiosa! Aliás extremamente ansiosa! Muita gente não sabe, mas em 2012 eu passei por uma cirurgia no útero para combater uma endometriose gravíssima. Por conta de um erro médico eu parei de andar. Isso mesmo! Parei de andar e tive que fazer mais de um ano de fisioterapia para me recuperar totalmente.

Imagens da internet

Graças a Deus hoje ando normalmente, mas confesso que foi uma fase muito difícil. Por conta deste erro, eu entrei em um quadro de ansiedade juntamente com quadro depressivo por conta das dores que eu sentia 24 horas sem cessar.  Fruto de uma lesão que aconteceu no nervo da minha perna.

Tudo isso gerou uma ansiedade fora do normal. Mal conseguia comer. Mediante essa situação, minha mãe fez um chá que eu gostaria de repassar para vocês.  São três ingredientes: maçã, maracujá e água.

Esse chá eu tomei por um período não muito longo, mas colaborou e muito para que eu viesse ficar mais calma e tivesse paciência para lidar com a dificuldade que estava passando: neuropatia por compressão.

INGREDIENTES E MODO DE PREPARO

Arquivo Pessoal


É bem simples. Separe 4 maçãs médias (usei a gala), e 3 maracujás;

Depois de lavar bem, pique as frutas com casca e poupa e coloque em uma panela com dois litros de água;

Cozinhe bem até as frutas ficarem bem molinhas;

Desligue o fogo e deixe esfriar;

Vire tudo em uma jarra e não precisa coar;

Fique à vontade para tomar gelado como suco ou morno como chá;

Adoce com três gotas de adoçante se preferir.


Berijos

Olá, pessoal!

Mais um dia de post no blog, só que desta vez eu vim falar sobre a minha transição capilar como prometido no último post. Então vamos lá! 

Quando decidimos passar pela transição capilar a PRIMEIRA coisa que descobrimos é que NÃO conhecemos o nosso cabelo in natura. Acreditem! Falo isso com propriedade de causa.


Arquivo Pessoal

 Desde criança frequentava salão de beleza.  Na minha época era muito comum as mães levarem suas filhas para relaxarem o cabelo. Na verdade, isso ainda acontece nos dias de hoje. É muito comum crianças enfrentarem os bancos dos cabeleireiros, a fim de usarem químicas capilares mais fracas.

O objetivo deste post não é criticar mães que tomam esta postura. Mas sim relatar a minha experiência. Mesmo porque, muitas utilizam a química para “facilitar” o pentear dos cabelos, livrar os filhos de atos racistas ou, até mesmo, por gostarem de cabelos alisados. Prossigamos!

Como disse, a primeira coisa que descobrimos é que não conhecemos o nosso cabelo. E assim foi comigo. Desde os oito anos fazia uso de relaxamento capilar. E em maio do ano passado resolvi fazer uso de tranças.  Na verdade, voltei a usar, afinal, minha avó era trancista e eu e minhas primas éramos modelos de seu trabalhos.
Arquivo Pessoal
Neste meio tempo comecei o processo de 0% de química no meu cabelo. Foi uma decisão muito difícil, confesso, pois muito mais que modismo, é um grito de liberdade.  Liberdade para ser quem eu sou, sem necessariamente se preocupar com o que os outros vão pensar, liberdade para responder à altura que meu cabelo não é ruim e que péssimo é o preconceito das pessoas, liberdade para dizer que não vai ser a opinião alheia que vai me diminuir por conta da minha escolha, e por fim, liberdade para dizer que sou linda sim! Com meu cabelo crespo, alto, black power (ainda vai subir mais kk...), cacheado, careca, ou até mesmo, alisado.


Após muita conversa com algumas amigas (que passaram pelo mesmo processo), e meu esposo, comecei o meu Big Chop, que significa grande corte.

TRISTE LEMBRANÇA DA INFÂNCIA

No dia 27 de dezembro de 2016, resolvi que era o momento de dar início ao meu Big Chop. A cada mecha do meu cabelo que eu tirava, um filme ia passando na minha cabeça. Senti vontade de chorar? Sim, mas resisti! 

Por cada apelido que já ganhei na minha infância e adolescência por ter o cabelo crespo me fez pensar duas vezes se era isso mesmo que eu queria. Lembrei-me da Juliana, uma aluna de cabelos lisos da mesma escola que eu estudava que me aguardava todos os dias na escada que dava acesso às salas de aula, a fim de tentar mostrar aos amigos que o pente fino que ela utilizava para pentear o próprio cabelo, não entrava nos meus.

Quantas foram as vezes em que relaxei o cabelo pensando nessa garota. “Hoje a Juliana pode fazer o que for no meu cabelo, porque meu cabelo está liso! ”. Triste lembrança.

DESCOBRINDO MINHA TEXTURA CAPILAR

Tranças retiradas, hora de conhecer minha textura capilar.  Ressecamento total!!! Socorro! O que passar neste cabelo que há mais de 20 anos não respirava em sua versão natural? Hora de aprender o que meu cabelo gostava, o que ele detestava, tratamentos que dão resultados e qual o tipo do meu cabelo. E descobri que o meu é Crespo tipo 4 (em breve falarei mais sobre isso).


Arquivo Pessoal
PÓS BIG CHOP

Quando fui lavar meu cabelo, ele parecia um camelo no deserto. A cada creme que eu usava meu cabelo sugava tudo.  Sua textura áspera me deixou intrigada. Afinal, há mais de 20 anos ele não respirava novos ares. Foi aí que eu aprendi sobre a umectação. Feito 

à base de óleo de coco ou azeite de oliva extra virgem. Eu usei o de coco, e de fato deu um resultado imediato no meu cabelo. Mas isso é conteúdo para um próximo post. Aguardem!

Grande Beijo!

Ainda são seis da matina e cá estou eu escrevendo mais um post. O conteúdo de hoje tem por objetivo encorajar vocês a mudarem quando for preciso.

Não importa em qual área da vida isso vai acontecer, mas sim, o tamanho da sua coragem em tomar uma atitude!
Quero compartilhar com vocês algumas mudanças que eu passei e, acreditem, foram decisões que me fizeram mais feliz!

A primeira mudança foi deixar o jornalismo como profissão e entrar de cabeça em uma área que amo de paixão: O MUNDO PET! Na verdade, lidar com animais foi um embate que sofri no terceiro período da faculdade.  Afinal, qual a melhor atitude:  trancar o curso atuante e recomeçar em outra área completamente diferente, ou concluir o jornalismo e DEPOIS INVESTIR NA VETERINÁRIA? 



Arquivo Pessoal
No fundo o meu grande medo era formar e nunca atuar no jornalismo. O que infelizmente acontece com muita gente que conclui alguma graduação. Graças a Deus trabalhei como jornalista por alguns anos: TV, revista e assessorias. Mas em maio de 2016, eu resolvi mudar. Assumi um Pet Shop, o Meu Animal Pet Shop, que tem me trazido tantas alegrias e algumas mordidas (kkkk... poucas, mas acontecem) e que de fato me encontrei.  

Sven - Arquivo Pessoal

Bidu - Arquivo Pessoal

Teodoro -Arquivo Pessoal


Lobo - Arquivo Pessoal

Zé Milho - Arquivo Pessoal


Billy - Arquivo Pessoal

Goham, Amora, Tod  & Lenon - Arquivo Pessoal

Rambo - Arquivo Pessoal

Thor - Arquivo Pessoal


Hoje, oito meses depois desta decisão,  durmo  e acordo pensando nos meus clientes de quatro patas e todo carinho que recebo deles compensa demais.

Outra mudança que gostaria de compartilhar, foi  a retirada total da química do meu cabelo. Para muitos, uma simples mudança, mas para quem leva consigo "CRENÇAS LIMITANTES" desde a infância, sabe do que estou falando.


Como já disse aqui, essa mudança para mim foi libertadora. Afinal, infelizmente  a sociedade tenta impor que para ser feliz você tem que ter o corpo, o cabelo,  a casa, a profissão, o carro, dentre outras coisas dentro de um determinado padrão.

Hoje, eu Aline, quero meu cabelo como ele é: Crespo tipo 4.  E sobre isso falarei em um próximo post. Vou compartilhar com vocês a evolução desta mudança capilar, tratamentos, melhores produtos, preços, etc. 

Arquivo Pessoal
E para finalizar, o que eu quero é te encorajar: Mude se for preciso!  Seja FELIZ naquilo que te FAÇA FELIZ! Para tudo na vida, o NÃO já temos. Corra atrás do sim! 
E sobre o emagrecimento, AINDA não cheguei lá, na minha meta, mas prossigo sem pressa para alcançar mais este sonho.  

Ah!  E se você está em busca de una pet shop que trate seu baby de 4 patas com amor e respeito entre em contato no 
(31) 2557-4904  | (31) 98643-7266 (Whats App), ou acesse nossa Fan Page Meu Animal Pet Shop.


Arquivo Pessoal


Grande beijo.